Barcelona: Uma casa que não é museu e sim experiência… Casa Batlló

Logo na chegada a Barcelona, já sabia que queria conhecer as obras do arquiteto Antoni Gaudí. Famosas por suas formas peculiares, típicas do artista.

Em um dos passeios pela cidade, me deparo com uma multidão no Passeig de Grácia. Um olhar pro alto e lá está a Casa Batlló (1904-1906). Fico paralisada com tamanha beldade. Meus olhos ficam aficionados nas formas e cores da obra. Vejo tubarões, dragões, flores, máscaras de carnaval, confetes… basta ser um pouco sonhador.

Chegou a hora de entrar nesta fantasia!
Chegou a hora de entrar nesta fantasia!

A visita é guiada por inovação e tecnologia – fones de ouvido com um tablet – que transforma a visita numa volta ao passado.

A casa foi uma solicitação de Josep Batlló Casanovas, um empresário do setor têxtil da época. Hoje, consta na lista do patrimônio mundial da UNESCO, e sua visitação é aberta ao público, porém tem custo  (22,50 euros por pessoa).

Hall de entrada.

A visita a esta casa é um constante abrir e fechar a boca de admiração, um constante arregalar de olhos diante de soluções inovadoras e incríveis. Continuadamente você se surpreenderá. Será um… não acredito no que vejo e como ele pode fazer isto? Ficará na duvida em olhar a olho nu, ou via vídeo guia. Sabe o que o videoguia faz? Ele te levará aos tempos em que a família Batlló vivia no local, visualmente e via voz.

SONY DSC
Olhe pra cima! Não perca nenhum detalhe…
SONY DSC
Claraboias do teto encantam!
SONY DSC
Entrada da sala principal

A voz te contará em que Gaudí se inspirou… no mar, na natureza e no carnaval para reformar esta linda casa.

A casa ganhará vida através do videoguia, um tablet de realidade aumentada, que nos mostra como eram os cômodos da casa e os elementos que inspiraram o artista. Não se assuste se um cogumelo gigante se formar diante seus olhos.

SONY DSC
Sala da lareira, inspirada em um cogumelo.
SONY DSC
O vídeo guia nos mostra as inspirações do arquiteto.
Janela sala principal
Janela sala principal

Dentro da casa observe tudo, escute atentamente toda a história que esta casa tem pra contar, com suas formas onduladas e cores. Se entregue a natureza, presente ali. Passeie pelo fundo do mar, com os animais, pela natureza. Sem pressa! Curta este espetacular momento, sinta. São portas, janelas, vitrais, cerâmica, tudo projetado e pensado pelo mestre. Vá com calma, até chegar no topo da casa.

SONY DSC
Portas com vitrais
SONY DSC
O degrade de azul dos azulejos…
SONY DSC
Cadeiras e bancos
Teto em redemoinho.
Teto em forma de redemoinho.
O pátio interno com suas floreiras de azulejos
O pátio interno com suas floreiras de azulejos

Um corredor de arcos brancos, como a neve, e escadas em caracol nos levam ao telhado da casa.

SONY DSC
Leveza ao atravessar o corredor.

O terraço também está repleto de cores e formas, é lá que mora o grande dragão. Imponente e magnífico, talvez adormecido. É dentro do dragão que está a fonte, o som de sua água o fará refletir.

O lombo do dragão está a repousar
O lombo do dragão está a repousar

Todos ficam em “alpha”, deslumbrados com tamanha criatividade.

A casa é pura sensação. Não se intimide! Passe a mão nas portas, no corrimão, nos vidros, no gelado dos azulejos. Gaudí é olhar, mas também é sentir, tocar. Para ver é preciso sentir.

Depois de percorrer a Batlló por completo, meus últimos passos foram de vazio… Como conseguirei ir embora de dentro destas cores e formas?

As cores, formas, ambientes, imaginações me fizeram suspirar! E você? O que lhe fez suspirar?

 

Curiosidades:

A casa foi reformada entre 1904 e 1906. As reformas foram feitas no apartamento principal, sótão e telhado. O edifício original era clássico e simples. Os senhores Batlló queriam algo diferente, espetacular e por isto contrataram Gaudí. Deram total liberdade para ele usasse toda a sua imaginação na reforma. Além de decorar, deixou os apartamentos e o sótão mais funcionais. Na época, os donos moravam no primeiro andar e o restante dos apartamentos eram alugados. Hoje, a casa pertence a família Bernat que mora em um dos apartamentos. Depois de uma longa reforma, a casa Batlló foi aberta a visitação em 2002.

 

Organizando a visita:

  • A Casa Batlló está aberta a visitação todos os dias do ano das 9h às 21h.
  • Compre o ingresso antecipado, principalmente se você vem a Barcelona no verão, final do ano e semana santa. Entre aqui para comprar o ingresso! Existem descontos diversos.
  • Reserve mais de 1 hora para a visita, se você usar o audioguia/videoguia. O Videoguia nos ajuda a ver como a casa era habitada e também em que se inspirou Gaudí para a reforma.
  • Como chegar: Metro – linhas L2, L3 e L4. Estação: Passeig de Gràcia. Linhas de ônibus: H10, V15, 7, 22 e 24.

 

*Créditos de imagem: Surian Dupont