No planador vivendo a liberdade numa emocionante aventura de um ‘voo a vela’

Quem nunca pensou na possibilidade de criar asas e voar, livremente pelos céus, sobrevoar e sentir a sublime sensação de liberdade… Me senti assim há poucos dias atrás voando de planador. Trata-se de uma aeronave mais pesada que o ar e que não tem motor.  Precisa ser tracionada por um avião rebocador. Quando é solta lá em cima ela vai perdendo altitude.

Mas antes de embarcar, muita gente me deixou em dúvida. Quando comentava que estava a fim de fazer este passeio, a pergunta mais frequente era, “tu vai mesmo voar num ‘treco’ que não tem motor?” Acho que esta é a dúvida de muitos, que ficam desconfiados ou temerosos pela ideia da aeronave só planar, sem recursos extras.

Mas a resposta vem da equipe do Aeroclube Albatroz, em Osório (RS). “Muito pelo contrário. É um voo seguro e as térmicas de ar podem te deixar por horas lá em cima, bem como as colinas”. Confiante, segui minha intuição e fui adiante. Eu tinha mandado um e-mail com algumas dúvidas para eles. Como não tive retorno, optamos por ir no local pessoalmente. Já decidida por fazer a decolagem, na secretaria eles me oferecem duas opções. Um voo de 650 metros por R$ por 250,00 ou um de 450 metros por R$ 200,00, podendo ser pago em dinheiro ou cartão. Optei pelo de 650 metros.

Em dias ensolarados, os pilotos ficam reunidos num trailler próximo da pista, acompanhando de perto os trabalhos e atendendo visitantes.

WP_20160123_11_35_30_Pro

De acordo com a direção do aeroclube, são feitos em torno de 250 a 300 voos por mês de planadores em Osório, considerando visitantes e alunos em instrução.  Meu planador foi o Super Blanik, assas longas, um charme!

WP_20160123_11_35_43_ProWP_20160123_11_36_44_Pro

Eles me passaram várias instruções de segurança antes de embarcar. É necessário o uso de para-quedas, mas evidentemente a ideia não era usá-lo. O piloto Leandro Carvalho foi bem tranquilo e minucioso na hora de explicar como seria o acionamento em caso de emergência, auxiliando também, no momento de colocar o equipamento.

WP_20160123_11_47_42_Pro WP_20160123_11_48_00_Pro

Os aviões foram posicionados para decolagem. Este é o rebocador que traciona o planador para o voo.

WP_20160123_11_35_50_Pro

Agora já dentro da aeronave, mais informações do piloto sobre procedimentos de segurança.  Cabo preso entre o planador e o rebocador. Vamos ao que interessa. Bora voar.

WP_20160123_12_09_36_Pro

Quando é puxado, dá um friozinho na barriga, aquela sensação semelhante de quando a gente anda numa montanha-russa que vai ganhando velocidade. E enfim, o céu. Na foto que segue, ainda estamos sendo rebocados. Em alguns momentos dá uns pequenos solavancos no planador.

WP_20160123_12_12_16_Pro

Mas finalmente, o ‘umbigo umbilical é cortado’. E daí começamos a planar de verdade.  Lindo!! Podemos visualizar o complexo de mais de 20 pequenos lagos que a região tem e a lagoa dos Barros.  A serra do mar, sobrevoando também o morro da Borússia, com suas cascatas e vegetação.

WP_20160123_12_13_43_Pro

WP_20160123_12_20_23_Pro

Equipe que estava lá no rebocador também fez um registro do meu sobrevoo na cidade de Osório (RS).

sobrevoo

Dizem que a liberdade é o oxigênio da alma. Concordo. Foi assim que me senti neste voo, renovando as energias. É de uma leveza, delicado, suave. O som que o vento gera em contato com o planador, os novos horizontes, garantem uma sensação de liberdade inspiradora e única.  O piloto fez um único registro deste momento. Me senti especial e privilegiada de ver tanta beleza. Feliz. Simples assim.

foto voo

Uma aventura emocionante e de puro encantamento. Meu voo (entre decolagem e aterrissagem) durou 25 minutos. A segunda opção, (de 450 metros) de acordo com a moça que me atendeu, dá entre 10 e 15 minutos.

DCIM100GOPRO

Fique atento as dicas!

– Leve boné, chapéu. São super bem-vindos.

– Óculos de sol também. Use protetor solar. Lembrem-se que o sol fica ainda mais intenso a 650 metros de altitude.

– Voar nas primeiras horas da manhã, é bem mais tranquilo. Depois das 11h, especialmente durante o período do verão, pode tornar sua experiência um forno microondas. Dentro da cabine, não tem refrigeração. E fica mais quente que lá fora. Programe-se para fazer seu voo em horários mais ‘fresquinhos’.

– Se tiver uma câmera, rende fotos bacanas. A GoPro pode ser colocada para fora da janelinha e captar cenários incríveis. Mas deixe para fazê-las quando estiver lá em cima, depois que o piloto já se ‘desconectou’ do rebocador. Antes disso, não rola por questão de segurança.

– O aeroclube dispõe de dois planadores, então, se um casal ou amigos quiserem estar juntos no ar é possível. Porém um tem que ir primeiro, a quase mil metros e o segundo, por exemplo a 650 metros. Assim, o que decolou antes, se ‘encontra’ com o segundo em voo. Pretendo fazer isso em breve com a minha dupla aqui no Garfo & Mala, Suri Dupont.

Fotos crédito: Edith Auler e Luciano Garcia para o Garfo & Mala. 

Aeroclube de Planadores Albatroz
Rua Marcílio Dias, 2085 – Bairro Albatroz – Osório/RS
(51) 3663-1079 e (51) 3663-2316

contato@albatroz.com.br

Horário de funcionamento da Secretaria:

Segunda à segunda das 9h às 12h e das 13h às 18h.

Horário dos voos
Segunda à segunda das 9h até o pôr-do-sol.