Dicas variadas do CHILE

Bienvenido, bienvenida

A algumas horas de vôo do Brasil, Santiago está longe demais para passar um fim de semana. Três dias… bom, já dá para considerar. O mínimo ideal, no entanto, são quatro noites, porque pelo menos dois passeios legais pra fazer (Viña del Mar + Valparaíso e, no inverno, um dia na montanha) requerem que se passe o dia fora da cidade.

Se essa é a sua primeira vez, saiba que com certeza não será a última. O Chile é lindo, cativante e tão cheio de coisas pra fazer, que não dá para visitar tudo de uma só vez. A cada volta você vai precisar dar ao menos uma passadinha por Santiago, e fazer algum programa que não tenha conseguido entrar na agenda da viagem de estreia.

# Não vale a pena comprar peso chileno no Brasil. Por mais baratinho que pareça, a cotação não será vantajosa.

Se você vai ficar só em Santiago, pode levar reais. Mas troque o mínimo no aeroporto: a cotação não é boa (dá para pagar o táxi ou a van com cartão de crédito). Deixe para fazer câmbio em dia de semana, no horário de expediente bancário. No fim de semana e fora do horário dos bancos a cotação é sempre baixa. Na temporada de inverno a cotação cai, e provavelmente será mais negócio levar dólar. Nas férias de verão, quando há chilenos viajando para o Brasil, a cotação do real em Santiago costuma ficar mais vantajosa. Confira cotações atualizadas no site da Cambios Santiago (a cotação da coluna de “compra”).

Se você vai ao Atacama, Lagos Andinos ou Patagônia e quer levar dinheiro vivo, leve dólares. O real não tem boa cotação fora de Santiago – até o dólar perde um pouquinho de valor; se não fosse pelo risco de desvalorização do real e IOF, daria para recomendar usar cartão de crédito direto, fora de Santiago.

Não importa a hora em que você aterrisse no aeroporto de Santiago, a melhor maneira de ir do aeroporto ao seu hotel é de táxi. Os táxis oficiais são tabelados, cobram entre US$ 30 e US$35 e aceitam cartão de crédito.

A Transvip tem traslados que podem ser reservados pela internet. Para o bairro Providencia, a corrida em táxi, sujeita a fila, sai 20.000pesos, o transfer com motorista esperando sai 27.000 pesos e a van compartilhada sai 7.000 pesos por pessoa. Dá para pagar com cartão.

É possível também ir com o ônibus da TurBus até a estação Pajaritos do metrô (1.700 pesos) e continuar de metrô (610 a 740 pesos, dependendo do horário).

Se você ainda não decidiu onde ficar, recomendo que escolha um hotel num desses três pontos:

Próximo às estações Universidad Católica ou Baquedano do metrô (para estar próximo aos bairros Lastarria e Bellavista, focos da vida noturna). Em Providencia (um bairro bem localizado e com bastante comércio), ou mesmo em El Golf (os “Jardins/Leblon” de Santiago). O Centro da cidade, em torno das principais estações rodoviárias, é onde fica o comércio popular. Evite essa região.

Hotéis próximos à vida noturna charmosa de Lastarria e Bellavista:

Um dos hotéis mais reservados é o Mito Casa Hotel fica num edificiozinho a uma quadra da estação Baquedano. Entre a estação e o bairro Lastarria, considere o econômico Principado Express e os hotéis-boutique Luciano K, Su Merced e Lastarria. No meio do bairro, confira os novíssimos (e chiquérrimos) The Singular e Las Cumbres. Já no centro da cidade, com acesso fácil ao bairro Lastarria, vale considerar o custoxbenefícios do apart  Ameristar Apart Hotel (use sempre a saída da calle Merced), do antigão Montecarlo e do correto Sommerlier Express (mas melhor te avisar: tem uma – discreta – boate de strip-tease a duas casas).

Hotéis em Providencia

Providencia é um bairro extenso, misto – residencial, comercial e empresarial. Desde a instalação do shopping Costanera Center, a localização mais interessante da região é o entorno da estação Tobalaba: você fica perto do shopping, com acesso a duas linhas de metrô (incluindo a que leva a vinícolas), e a uma corrida curta de EasyTaxi ou Uber aos restaurantes badalados de El Golf e da Nueva Costanera. O hotel clássico desse ponto é o NH Collection (antigo Radisson), em frente ao shopping. Na outra calçada, o Doubletree by Hilton Santiago Vitacura faz o mesmo gênero, com instalações mais novas. Mais basico, o RQ Suites (apart – com cozinha, dois quartos e sala confortável – onde eu fiquei, amei e super indico) fica em frente à estação; ali perto, o Atton El Bosque é um confortável hotel business, e o La Sebastiana tem studios e apartamentos com cozinha equipada. Na parte mais tradicional do bairro, o Ibis Providencia, é o mais bem localizado da cidade; fãs de hotéis-butique devem comparar o Hotel Orly, com ar parisiense, o pequenino Meridiano Sur Petit Hotel e o Casa de Todos B&B Boutique. Além destes tem o sofisticado Le Rêve, todos nas proximidades de alguma das estações de metrô do bairro.

Hotéis em El Golf

El Golf é o coração da Santiago mais afluente. Se estiver podendo, sobrando dinheiro, o W Santiago, o mais interessante entre os hotéis de luxo da cidade. Para um luxo mais clássico, pense no Ritz-Carlton. E para se hospedar junto aos “bacanas” sem ir à falência, reserve o Holiday Inn Express El Golf.

De modo geral, evite subir à montanha em fins de semana e feriados, porque muitos santiaguinos têm a mesma ideia e os lugares não comportam tanta gente assim. (Viña del Mar só fica cheia demais no alto verão).

Compartilhe suas dicas com a gente! 🙂