Chapada dos Veadeiros: O que fazer?

Por aí na Chapada!

 

Aconselho alugar um carro para conseguir explorar ao máximo a Chapada dos Veadeiros. As cachoeiras ficam bem espalhadas, logo é preciso rodar bastante. Pra você ter uma ideia, de Alto Paraiso para a vila de São Jorge são 36 km, fora o que se roda para chegar até as cachoeiras.  Não que não dê para curtir sem carro, mas você vai ficar preso às cachoeiras mais próximas ou a passeios com agências turísticas. Eu fui com amigos que moram em Brasília e foi essencial estarmos de carro.

Nossa primeira parada “molhada” foi a Catarata dos Couros (R$15,00 por pessoa para passar o dia), que fica a 100km de carro de Alto Paraiso. Parte da estrada é de chão batido, que encherá seu carro, boca e nariz com muito pó :D!

Deixamos o carro no “estacionamento” e descemos em direção a Catarata, por uma trilha de 4km (ida e volta). De nível fácil a médio.

Você também poderá descer pela beira do rio, por uma segunda trilha, onde encontrará mais duas quedas. A terceira, vista de cima (pq não desci), é um poço grande e fundo, dá muito medo! GALERA, cuidado com esse último poço, é lindo, mas tem seus perigos. Adorei a trilha, que cria pequenas prainhas de areia, perfeitas para tomar banho em suas partes rasas, onde corre água. Uma maravilha.

Catarata dos Couros
Catarata dos Couros

 

O segundo dia foi destinado a conhecer as cachoeiras da Fazenda São Bento: Almécegas I, Almécegas II e Cachoeira São Bento (entrada na fazenda R$30 por pessoa). Não há plataformas, escadas ou coisas do tipo nas duas primeiras para que os visitantes possam entrar nas águas das cachoeiras. É preciso ter cuidado. Mas vale a pena… a beleza do local compensa qualquer dificuldade.

# Neste local, não aconselho levar crianças, pois o local é bem escorregadio, alto e perigoso.

Começamos a trilha para conhecer a Almecegas I, de nível médio a difícil, com 2,5km em local íngreme. Vale cada passo… Quando chegares ao pé dela entenderás. O lugar é mágico e o visual fantástico. Nem a água gelada te fará desistir de mergulhar.

A trilha...
A trilha…
O mirante
O mirante
As águas escoam com elegância sob os beirais escalonados. Credito de imagem Surian Dupont

Depois de apreciar a beleza da Almecegas I, chegou a hora de partir para Almecegas II. Com mais 2,5km de trilha mais suave, de nível fácil. Ao final do caminho, encontrarás um bom local pra banho, lindo pra curtir o final do dia.

Decidimos não ir até a cachorira São Bento porque não achamos tão interesse – vimos na entrada- parece uma grande piscina.

Ao cair do sol, nosso destino foi voltar para a pousada para banho, descanso e mais tarde jantar.

Despertar de mais um dia, café da manhã tomado, é dia de conhecer o Vale da Lua (R$20,00 por pessoa). Expectativas mil… Este local tem muitas “historias pra contar”.  Como na Vila de São Jorge, não tem taxi, então resolvi ir andando. Chegando na beira da estrada, pedi carona em direção a Alto Paraiso. Rapidinho uma moça parou (Izabel – professora no povoado) e me deu carona até a estrada que leva ao Vale, ou seja, 4km a menos em uma estrada asfaltada e muitooo quente. Da estrada até a entrada para o Vale, foram mais 4km de estrada de chão lotada de poeira vermelha e muito sol  (mas eu já tinha inventado de ir, vamos lá!). Chegando à entrada, conheci o Robson (um dos herdeiros da fazenda) com quem conversei por um tempo. Ele me passou varias dicas, entre elas:

– a fazenda tem ao todo 300 hectares;

– julho é alta temporada (cerca de 300 visitantes por dia);

– janeiro e fevereiro o Vale fica embaixo d’água (não tem visitação);

– As trombas d’água, quando acontecem, ocorrem em média de 1 a 1,5 min. (repentinamente);

– Ali já morreu gente (caiu nos buracos com correnteza). Tenha cuidado!;

– Ali foi gravada a minissérie “Felizes para sempre”;

– Não tem peixes nesta parte do rio (Vale da Lua);

– Parque fecha às segundas-feiras;

– Abre das 7h30 às 17hs.

Mas o local é incrível, com formação rochosa espetacular e água cristalina (trilha fácil – 1,2km). Valeu toda a pernada!

No Vale da Lua formam-se três piscinas naturais. A primeira é de acesso mais difícil e arriscado, a segunda também fica numa área não muito segura e a terceira é a mais recomendada para banho.

#Lembre-se de ir com botas ou tênis propícios para a caminhada, roupa de banho, levar água, protetor solar e repelente.

 

Ultimo dia de São Jorge… Não podíamos deixar de ir ao Parque Nacional Chapada dos Veadeiros (único com acesso gratuito).

#Recomenda-se ir cedo, pois as caminhadas dentro do parque são longas e demoradas. Melhor não pegar trilhas a noite, pois é muito perigoso.

Ao chegar você receberá as instruções do parque e cuidados a serem tomados. Todas as trilhas são indicadas por pequenas flechas na cor da trilha nas rochas do caminho.

 O Parque Nacional é demais! Existem 4 trilhas a serem visitadas. Optamos pela Canyon e Cariocas. A trilha tem um visual lindo ao longo do percurso. São 11 km de ida e volta, porém a caminhada é pesadinha (sobe pedra, desce pedra). Não se esqueçam de levar pelo menos 2 litros de água por pessoa, porque o clima é muito seco.

Cariocas – Credito de imagem Surian Dupont

Cariocas – Credito de imagem Surian Dupont
Canyons – Credito de imagem Surian Dupont

O lugar é encantador, belíssimo, e exige algum preparo, mas a maior recompensa estará no final da trilha… refresque-se!

Outras atrações:

Que não tivemos tempo de visitar… ou seja, temos que voltar! 🙂

  • Cachoeira das Loquinhas: 1.600mt de trilha / Nível: fácil
  • Cachoeira Água Fria: 4km de trilha / Nível: fácil
  • Cachoeira dos Cristais: 800mt de trilha / Nível: fácil
  • Vale Dourado: 200mt trilha / Nível: fácil
  • Poço Encantado: 600mt de trilha / Nível: fácil
  • Raizama: 2,3km de trilha / Nível: médio a fácil
  • Encontro das Águas: 2,5km de trilha / Nível: fácil
  • Sertão Zen: 16km de trilha / Nível: difícil
  • Abismo/Janela (somente mirante – visual): 8km de trilha / Nível: difícil
  • Morada do Sol: 2,4km de trilha / Nível: fácil
  • Morro da Baleia: 6km de trilha / Nível: difícil

 

Gostou? Recomendaria algo mais? 🙂

 

*Credito de imagens Suriàn Dupont